12 de abril de 2016

Prosa com gosto de Poesia | Poesia




O celular toca, não quero saber quem é
Eu estou muito ocupado fazendo tipo
Na verdade, só não quero ter a certeza
Se não for você, vou me decepcionar
Se for, eu já sei que vai me magoar
Porque comigo as coisas são assim
Dá errado com a pessoa certa
E dá certo com a pessoa errada

Então falo com quem tenho facilidade
Com doses criminosas de liberdade
Com quem o verbo desenrola
A palavra e língua enroscam
Sem pressões no discurso
Sem peso nas entrelinhas
Somente uma boa prosa com gosto de poesia

É que eu preciso de um pouco de leveza
E um pouco mais de cerveja
Pra que o presente que não seja bem-vindo
Fique no passado e de lá não retorne
Pra que tudo se torne mais lindo
Como um beijo com gosto de poesia


Diogo Souza,
17 de janeiro de 2016, 00h:38

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poesias no Espelho

Postagem em destaque

A grandiosidade de se sentir pequeno | Crônica | Cara do Espelho

Vou me pendurar no lustre, no lustre Vou viver como se não houvesse amanhã (Sia – Chandelier) Você já olhou para o céu numa...