2 de março de 2016

Não é mais o meu amor | Poesia

Hoje tem poema novo aqui no blog. Foi escrito ao som da batida perambulante e dançante de Billie Jean, clássico do Michael Jackson (estava demorando a falar dele).

Gosto de pensar nesse poema como um desses estalos no pensamento que nos libertam de pesos que não precisamos mais carregar. Uma história que acontece com todo mundo, de várias formas. Todo mundo já teve romances ruins, todo mundo já conheceu sua Billie Jean.

Era uma noite fria quando a reencontrei
Andando linda e perigosamente sozinha
O medo escorria dos seus olhos
E, quando me viu, ela se sentiu aliviada
Encontrou alguém em quem confiar.

Foi quando me deu um forte abraço
E perguntou se poderia ir comigo
“Eu estou tão desesperada!”
Eu acenei e seguimos pela noite

Naquela noite, no seu apuro
Eu era a única pessoa para ela
Eu era o único cara que poderia salvá-la
E ela era aquela que me deixou quando eu mais precisava

Minha mãe sempre dizia
Que as pessoas só pensam nelas mesmas
E que só lembram de você
Quando precisam de alguma coisa.
Ah, mamãe, a senhora sempre certa!

Eu nunca disse tudo o que queria
Para aquela garota do meu lado
Eu nunca tive a oportunidade
Eu nunca a feri como ela me feriu
Não, nunca tive coragem

Então ela está de novo ao meu lado
E agora não sinto mais nada
Então agora eu vejo bem claro
Aquela ali não é mais o meu amor
É uma apenas a garota que me deixou no chão
Quando eu precisava de ajuda pra levantar
Hoje ela me pede mais uma chance
E eu apenas sigo meu caminho em silêncio
Como sempre fiz, desde que
Aquela ali não é mais meu amor

Diogo Souza
04 de junho de 2015

3 comentários:

  1. Belo poema, e facil de se identificar com algumas passagens. A sensação de encontrar alguém que significou algo no passado e perceber que já não mexe mais contigo é no bem singular, e achei que você passou bem o feeling por trás dela.

    Pryh
    http://liriosaomar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Priscila, você é uma das provas vivas de que eu preciso cuidar mais deste blog e olhar as postagens. hahaha Obrigado pela leitura e pelo comentário, que bom que tenha conseguido captar sensação do poema. Por curiosidade, este poema não foi inspirado por algo vivido por mim, mas sim de uma dessas viagens que temos ouvindo música. Meses depois, acabei vivendo e sentindo a mesma coisa que escrevi, então resolvi postar.
      P.S.: Tô indo ler e comentar no seu agora. :)

      Excluir

Poesias no Espelho

Postagem em destaque

A grandiosidade de se sentir pequeno | Crônica | Cara do Espelho

Vou me pendurar no lustre, no lustre Vou viver como se não houvesse amanhã (Sia – Chandelier) Você já olhou para o céu numa...