Inscreva-se!

9 de novembro de 2014

Reflexão | O Espelho do Cara


O texto da semana é uma reflexão sobre o Cara do Espelho (!) feita por um amigo da faculdade, Adeilton Nogueira, ele é padre e professor de Filosofia.

Quando conheceu a página do blog no Facebook, ele acabou se interessando pelo nome do blog e também pela imagem de capa da fanpage, a partir daí escreveu uma “análise” do Cara do Espelho a qual compartilho com vocês neste domingo.

Boa leitura e reflitam. J

 

O Espelho do Cara

Por Adeilton Nogueira

 

 

 

O que me chamou a atenção foi mesmo o nome da fã page: "Cara do espelho".

Primeiro Espelho porque a figura simbólica do espelho me traz inúmeras sugestões oportunas sobre tema muito caro para mim: o reflexo e suas conotações psicológicas e filosóficas.

O espelho é um instrumento muito antigo, tão ligado a imagem refletida que poderia dizer que ele existe em razão da própria imagem refletida. Sem reflexo, sem objeto não tem razão de ser espelho.

Nas minhas primeiras aulas de filosofia, como professor, sempre inicio convidando os alunos a uma reflexão sobre a própria reflexão: Que coisa é a reflexão? Portanto, sobre o espelho e suas propriedades; sobre o espelho e suas semelhanças com o pensamento, sobre a razão e a racionalidade. Que coisa é mesmo a reflexão?

Para iniciar uma exposição sobre o pensar sugiro uma troca de experiências com o espelho.

O espelho basicamente reflete a imagem que se lhe dirige. Espelho é reflexo. Nem todo vidro é espelho, nem todo metal é espelho embora algo do objeto se veja refletido neles.

Outro aspecto fundamental é a luz. O espelho necessita da luz. Sem luz, por mínima que seja, não será possível ver algo refletido. O espelho é tão sensível ao objeto quanto o é à luz. Sem luz não há reflexo. Aqui surge a explosão que dá origem à "verossimilhança" do espelho com o pensar.

Luz vem do grego ideos. Agora entendemos por que ideia é a iluminação da razão quando surge um novo pensamento. Não haverá ideia sem que ela esteja sendo pensada, sem que ela esteja em pensamento, em processamento de razão. Isto é a racionalidade: a operacionalidade da razão.

Pois bem, o espelho é, ao meu ver, um dos melhores símbolos do que é o pensamento, consequentemente, a ideia e a reflexão. A ideia é o objeto que quando entra em reflexão vira pensamento. O pensamento é o todo, o objeto em reflexão e a reflexão do pensamento. O espelho está mais próximo do pensamento do que do objeto e da reflexão. O objeto é a coisa em si que pode ser refletida. A reflexão é a projeção do objeto, sua transformação ou captura em imagem, sua abstração, de coisa ao seu reflexo.

A figura da fanpage é deveras sugestiva. Um "cara" convidando ou apresentando o espelho que ainda não reflete o visionário que, por sua vez, seria aquele que se posiciona à sua frente. Parece que a figura sugere ou pretende uma projeção de quem se aproximar, e não de si mesmo, não do autor da fanpage.

Quem se dispuser a "entrar" no espelho do "cara" esperando descobri-lo certamente se descobrira também, pois o "cara" pretende fazer da fanpage um espelho.

 

Adeilton Nogueira,

em 26 de setembro de 2014

 

Você pode acessar o blog de poesias do Padre Adeilton clicando aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poesias no Espelho

Postagem em destaque

A grandiosidade de se sentir pequeno | Crônica | Cara do Espelho

Vou me pendurar no lustre, no lustre Vou viver como se não houvesse amanhã (Sia – Chandelier) Você já olhou para o céu numa...